Segunda - Sábado 06:00 - 24:00

Domingo 08:00 - 19:00

(21) 2729-1669 - (21) 2612-9300

contato@irsa.med.br

Siga-nos
 

Densitometria Óssea

Irsa  >  Densitometria Óssea

DENSITOMETRIA ÓSSEA

O IRSA possui um dos mais modernos equipamentos de Niterói

DENSITOMETRIA ÓSSEA

É o melhor método de imagem para medir a massa óssea de determinadas partes do seu corpo para diagnosticar a osteoporose, verificar a quantidade de perda óssea e o risco de fratura. O exame não requer nenhum preparo especial, não precisa de jejum e deve ser feito com roupas adequadas, evitando botões, zíppers e fivelas de metal. Tempo do exame: cerca de 15 minutos.

A osteoporose é uma doença bastante comum caracterizada por um enfraquecimento esquelético causado pela gradual perda de massa óssea, aumentando o risco de fraturas por pequenos traumas. Durante sua existência a mulher perde em média cerca de 50% do osso trabecular e 30% do osso cortical e o homem 30% e 20% respectivamente. A osteoporose é assintomática nas suas fases iniciais, por este motivo é importante a realização de exames capazes de detectá-la ainda no começo. Após os 50 anos, 1 em cada duas mulheres brancas irá apresentar algum tipo de fratura no tempo de vida restante. A mortalidade após fratura de colo do fêmur pode chegar a 18% no primeiro ano.

O QUE O EXAME PODE FAZER

– Detectar baixa densidade óssea antes de ocorrer fratura.
– Confirmar um diagnóstico de oesteoporose em pessoa que já teve fratura.
– Determinar a taxa de perda óssea quando o teste é feito anualmente.
– Controlar os efeitos do tratamento em controles anuais.

QUEM DEVE FAZER O EXAME?

– Todas as mulheres de 65 anos ou mais.
– Mulheres com deficiência estrogênica em qualquer idade.
– Mulheres peri e pós-menopausa.
– Mulheres com amenorreia secundária (não-grávidas) por mais de 1 ano.
– Todos os indivíduos que tenham sofrido fratura sem trauma ou por trauma mínimo.
– Indivíduos com achados radiográficos de desmineralização óssea ou com fratura de vértebras.
– Todos os homens após 65 anos e com hipogonadismo (consequentes ou não a tratamentos de doença da próstata ou testículos.
– Indivíduos com perda da estatura ou acentuação da cifose torácica.
– Pacientes sob o uso de corticóides por mais de 3 meses.
– Indivíduos com baixo índice de massa corporal (< 19).
– Portadores de doenças crônicas em uso de medicamentos que podem provocar osteoporose.
– Para monitoramento da massa óssea decorrente da evolução da doença ou da resposta aos diferentes tipos de tratamento disponíveis.

PREVENÇÃO

A osteoporose pode ser evitada se a perda óssea for detectada cedo, através do exame de densitometria óssea. Como ajuda à prevenção, você deve evitar os seguintes fatores de risco:
– Perda de hormônios na menopausa
– Deficiência de cálcio
– Falta de atividade física
– Alcoolismo
– Tabagismo
– Efeitos colaterais de determinados medicamentos

Se você já tem osteoporose, pode viver ativo(a) e confortavelmente procurando os cuidados médicos corretos e fazendo algumas adaptações no seu estilo de vida. Seu médico pode recomendar uma dieta rica em cálcio, um programa regular de exercícios de resistência a peso e tratamento médico.

WhatsApp chat